O Instituto Politécnico da Guarda é uma das instituições que integra a Rede das Instituições de Ensino Superior para a Salvaguarda da Dieta Mediterrânica (RIESDM)

A assinatura do protocolo realizou-se na sala de seminários da Reitoria da Universidade do Algarve, no campus de Gambelas, e conta com 19 Instituições de Ensino Superior (IES): 10 institutos politécnicos (Beja, Guarda, Leiria, Lisboa, Porto, Santarém, Setúbal, Viana do Castelo e Viseu), seis universidades (Algarve, Aveiro, Coimbra, Évora, Porto e Trás os Montes e Alto Douro) e três escolas não integradas (Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Escola Superior de Enfermagem do Porto e Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril).

Esta rede pretende potenciar o trabalho desenvolvido pelas IES no âmbito da promoção e salvaguarda da Dieta Mediterrânica (DM) e aumentar a articulação destas com as outras entidades com responsabilidade na promoção e salvaguarda da DM, contribuindo, através de uma abordagem multidisciplinar, para a salvaguarda da DM em diversas vertentes, nomeadamente ao nível da produção e valorização dos produtos, da educação para a saúde, da preservação de técnicas, festividades e paisagens ancestrais, entre outras.

Na sessão de abertura, além do Reitor da Universidade do Algarve, Paulo Águas, participaram o secretário de estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas, o presidente da Câmara Municipal de Tavira (Comunidade Representativa da Dieta Mediterrânica), Jorge Botelho, o presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve, Francisco Serra, a diretora regional de Cultura do Algarve, Adriana Nogueira, o diretor regional de Agricultura e Pescas do Algarve, Pedro Valadas Monteiro, e a vice-presidente da Região de Turismo do Algarve, Fátima Catarina.

Miguel Freitas salientou a importância do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelas IES. Também os representantes das diversas entidades regionais referiram o trabalho realizado no âmbito da candidatura da classificação da DM a Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO e o trabalho posteriormente desenvolvido a nível nacional e a nível da região do Algarve, nomeadamente no âmbito do Plano de Salvaguarda da DM e do respetivo Plano de Atividades para a Salvaguarda da DM na região do Algarve 2018-2021.

Durante a tarde realizou-se a primeira reunião da Assembleia Geral da Rede.

A Dieta Mediterrânica

A Dieta Mediterrânica (DM) é uma milenar herança cultural e civilizacional, um estilo de vida e um padrão alimentar de excelência reconhecido pela UNESCO e pela Organização Mundial de Saúde.

Face à crescente padronização dos hábitos alimentares e à aculturação das nossas tradições, a DM, que ainda se mantém uma tradição viva, está em risco de perder a sua importância histórica e cultural.

A pensar na sua preservação, foi apresentada, a 4 de dezembro de 2013, na 8ª Conferência Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural e Imaterial da UNESCO, em BAKU, uma candidatura transnacional da DM a Património Cultural Imaterial da Humanidade (PCIH), de onde resultou a integração de Portugal, representado pela comunidade de Tavira, na Lista Representativa do PCIH.

A Dieta Mediterrânica além de promover um modelo de desenvolvimento mais harmonioso, contribui para comunidades mais saudáveis e ambientalmente mais sustentáveis.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *