IPG ganha 3ºPrémio no Concurso Nacional Poliempreende 2019

O Instituto Politécnico da Guarda foi distinguido no Concurso Nacional Poliempreende 2019 com o projeto “Hydroponic Evolution Farm”. Este projeto quer tornar a alimentação saudável acessível ao maior número de pessoas, de forma sustentável. O concurso para estimular o empreendedorismo no ensino superior politécnico decorreu em Tomar e envolveu institutos de todo o país.

O projeto “Hydroponic Evolution Farm”, desenvolvido por alunos do Instituto Politécnico da Guarda – IPG, foi premiado do Concurso Nacional do Poliempreende, uma competição criada pelos Institutos Politécnicos e Escolas Superiores. A 16ª. edição decorreu no Instituto Politécnico de Tomar e teve a concurso 21 projetos que as instituições de ensino superior tinham selecionado nas suas regiões como ideias vanguardistas para negócios.

O “Hydroponic Evolution Farm” promove o cultivo em Hidroponia – técnica de cultivar plantas sem solo – da “pastinaca sativa”, normalmente conhecida como cherovia. O resultado final é a produção de um legume de alta qualidade, avaliado como tendo “excelente sabor e aspeto”.

“Este prémio é o reconhecimento da criatividade, do espírito empreendedor e da qualidade do trabalho desenvolvido pelos nossos estudantes”, afirma Joaquim Brigas, presidente do IPG. “O Hydroponic Evolution Farm pretende ajudar a tornar a alimentação mais saudável, ao mesmo tempo que se evita a degradação de solos e do ambiente”.

O projeto está concebido por forma a facilitar o trabalho de colheita, permitindo a produção à medida e “fora de época”. Reduzir doenças, permitir a adição de nutrientes e evitar a degradação de solos são outros objetivos. O “Hydroponic Evolution Farm” foi distinguido com terceiro prémio do concurso e irá receber €3.000 para ajudar à concretização do negócio. O prémio é patrocinado pela Ordem dos Contabilistas Certificados.

Tiago Andrade, Pedro Gaspar e Joana Rodrigues, estudantes do mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Ambiente, Qualidade, Segurança e Responsabilidade), são os autores do projeto. Este foi desenvolvido na unidade curricular de Sustentabilidade e Gestão da Responsabilidade Social.

Segundo o Instituto Politécnico da Guarda, este prémio salienta a importância dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentado – ODS das Nações Unidas e, em particular, o do Emprego Digno e do Crescimento Económico (ODS 8), o da Indústria, Inovação e Infraestrutura (ODS 9), o das Cidades e Comunidades Sustentáveis (ODS 11), o da Fome Zero (ODS 2), o da Boa Saúde e Bem-Estar (ODS 3) e o da Água Limpa e Saneamento (ODS 6). A conjugação destes ODS faz com que o “Hydroponic Evolution Farm” seja um contributo relevante para “tornar a alimentação saudável e acessível ao maior número de pessoas e de forma sustentável”.

Os projetos empreendedores foram defendidos ao longo dos dias 12 e 13 de setembro, em apresentações de 10 minutos de exposição seguidos de 20 minutos de interpelações feitas pelo júri do concurso: este foi presidido por Cláudia Pires da Silva, do Instituto Politécnico de Tomar, e contou com Cristina Dias Neves (Santander), Nuno Dionísio (Softinsa), Nelson Ferreira (Ordem dos Contabilistas Certificados), Sandra Alvim (IAPMEI) e Tiago Ferreira (Delta Cafés).

O primeiro prémio foi atribuído ao Instituto Politécnico do Porto com o projeto Bully Ban, uma ferramenta que visa minimizar os problemas associados ao bullying. O segundo prémio foi arrecadado pelo Politécnico de Leiria com o projeto CBmeter, uma nova tecnologia para ajudar no diagnóstico de doenças. Já o projeto do Politécnico de Santarém recebeu o Prémio Inovação. A Universidade das Ilhas Baleares (Espanha) foi distinguida com o Prémio Internacionalização.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *